Em “Paulo e Estêvão” ou mesmo em Atos dos Apóstolos e em suas Epístolas, Paulo afirma em vários momentos trabalhar com as próprias mãos. Assim, não se tornaria “pesado” a nenhuma comunidade que visitava. O Novo Testamento dá algumas pistas de seu ofício.

Mas quem esclarece é Emmanuel, em seu romance psicografado por Chico Xavier. O Apóstolo dos Gentios era tecelão, um construtor de tenda. Assumiu a tecelagem após sua conversão. Era o ofício do pai. Seu preparo, sua formação, fez dele doutor da lei. Mas o encontro com Jesus no caminho de Damasco representou uma mudança de rumo inclusive para o emprego de suas energias.

Neste episódio, Guilherme del Valle trata da Lei de Trabalho. E parte do exemplo paulino de operário aplicado, seja nas tendas ou no Evangelho. O pesquisador e apresentador retoma os ensinamentos da terceira parte de “O Livro dos Espíritos”. E lembra que todo esforço útil é trabalho.

Esta série nasceu do livro “Paulo de Tarso e as Leis Morais”. Ele foi lançado por Guilherme em 2017 pela editora da Fergs. O estudo em vídeo, para a plataforma Espiritismo.TV, resulta de uma parceria com o Centro Espírita Emmanuel, de Viamão (RS).

Continuar lendo

Comentários

Mais Episódios