Zé Henrique Martiniano compôs as canções de “Mensagem dos Poetas Mortos” sobre textos de diversos Espíritos. A maioria do material escolhido é bastante conhecida no movimento espírita, assim como seus autores. Mas “Jornada” está entre as exceções tanto num caso quanto no outro.

O soneto é o único poema de Adelino Fontoura na vasta psicografia em versos de Chico Xavier. E pouco se sabe sobre esse escritor. Muito disso deve-se ao fato de ter desencarnado com apenas 25 anos e jamais ter publicado um livro. Esse vazio editorial, contudo, não o impediu de ter sido escolhido patrono da cadeira nº 1 da Academia Brasileira de Letras.

“Jornada” foi psicografado por Chico para “Antologia dos Imortais”. Waldo Vieira compartilhou a produção da coletânea, publicada em 1962. O poema carrega um poder de síntese formidável. Descreve a evolução do princípio espiritual, desde os reinos mais primitivos até a promessa de se “transpor o clarão das estrelas”.

O registro da canção no álbum traduz fielmente a trajetória narrada. André de Souza e Plínio Oliveira formam um dueto belíssimo. E este último também assina o arranjo e a regência das cordas.

Continuar lendo

Comentários

Mais Episódios