Antero de Quental foi um dos poetas mais constantes na obra de Chico Xavier. Com 55 poemas, está presente em quase todas coletâneas psicografadas pelo médium. O que inclui “Parnaso de Além-túmulo”, como não poderia deixar de ser.
E nesse marco da literatura espírita foi publicado “Deus”. No soneto, o autor português faz uma ode à excelsitude do Criador por meio da infinitude da Criação. Os mistérios da origem do universo e o caráter divino insondável para o homem, que, todavia, conhece Sua misericórdia, recebem a beleza do canto do poeta.
Se o poema mediúnico nasceu de uma junção entre os planos, a parte musical também é uma parceria. Zé Henrique Martiniano e Júlio Corradi dividem a melodia. A interpretação da canção é de Sérgio Sanchez.
“Deus” faz parte de “Mensagem dos Poetas Mortos”. O álbum foi lançado em formato livro-CD, em 2019, por Zé Henrique e pelo Instituto SER. As canções trazem textos musicados pelo compositor paulista, a maioria da psicografia de Chico Xavier.

Continuar lendo

Comentários

Mais Episódios