Fechando o álbum “Mensagem dos Poetas Mortos”, a faixa “A Lápide” torna-se uma homenagem a Allan Kardec. “Nascer, morrer, renascer ainda. E progredir sem cessar. Tal é a lei.” Essa ideia transposta em letra da canção é atribuída a Johann Goethe. Contudo, associa-se a ela a memória do codificador do Espiritismo. Isso porque está gravada na cobertura do túmulo dele, no cemitério Père-Lachaise, em Paris.

Mais do que isso, o pensamento sintetiza alguns dos pilares da Doutrina Espírita. E tal viés marca o trabalho de Zé Henrique Martiniano. O compositor e instrumentista paulista transformou em canções uma série de textos, a maior parte de autoria espiritual psicografada por Chico Xavier. Assim, em forma de melodia, conferiu outras belezas à “Mensagem dos Poetas Mortos”.

O livro-CD foi lançado em 2019 em parceria com o Instituto SER. E conta com as letras cifradas e reflexões sobre a arte espírita. Os registros em vídeo das gravações estão disponíveis na plataforma Espiritismo.TV.

“A Lápide” tem a participação especial do músico e produtor Swami Jr. Ele toca violão de sete cordas e assina o arranjo. Dividem os vocais a cantora Jô de Souza e o coral Coro e Osso. A letra é cantada em cinco idiomas, reforçando o caráter universal do ensino dos Espíritos.

Continuar lendo

Comentários

Mais Episódios