Importantes marcos de interpretação fazem parte deste episódio do estudo de Isaías à luz da Doutrina Espírita. Uma grande metáfora profética, uma análise etimológica do nome do profeta e o tema central do texto.

Isaías é um dos livros mais amplos do Antigo Testamento, com 66 capítulos. No começo da série, Haroldo Dutra Dias dividiu a obra pela perspectiva histórica. Aqui, passa a uma abordagem por assunto. Mas, inicialmente, volta a caracterizar a profecia. Com exemplos, distinguia-a da mera adivinhação. E reforça o livre-arbítrio humano, seja individual ou coletivo, para reverter tendências e evitar que o alerta profético se cumpra.

A primeira parte de Isaías estrutura-se em um julgamento simbólico. O profeta atuou como conselheiro de três reis da Judeia. Assim, as cortes eram ambientes que frequentava. Nessa analogia literária, o réu era Israel, e o juiz, Deus. Como evitar um veredicto desfavorável? Como impedir que os interesses materiais e a idolatria conduzissem o povo à condenação? O caminho era reconhecer o Messias que estava por vir.

Esse estudo foi transmitido originalmente ao vivo pelas redes sociais da plataforma Espiritismo.TV. Ao fim, Haroldo responde perguntas dos amigos que seguem a série.

Continuar lendo

Comentários

Mais Episódios