BEM-AVENTURADOS OS QUE TÊM FOME E SEDE DE JUSTIÇA

A mensagem expressa por Jesus no Sermão da Montanha pode ser considerada revolucionário. Não por suas possíveis consequências políticas e sociais. Mas naquilo que representou em termos de rupturas morais. As bem-aventuranças, cerne do discurso do Mestre, marcam uma nova escala de valores. E, especialmente, ressignificam noções de liberdade e justiça.

Jorge Elarrat trata da quarta virtude ditosa, reservada aos que têm fome e sede de justiça. E foi muito além disso. Ele traça a história do povo de Israel até o período da encarnação do Messias. Destaca a alternância entre períodos de opressão e escravidão e de autonomia.

Nos tempos de Jesus, a dominação romana exercia sobre os judeus um quadro do primeiro tipo. Com isso, Elarrat demonstra qual era a expectativa quanto à vinda do Cristo. E este, surpreendentemente, associa a quarta à quinta bem-aventurança. Ou seja, não se conquista a verdadeira justiça com vingança e agressão, mas por meio de misericórdia.

Ao fim da palestra, o expositor respondeu perguntas do público. O Sermão da Montanha foi o tema do 5º Congresso Espírito de Uberlândia (CEU). A WEB Rádio Fraternidade organizou o encontro em janeiro. Todas as palestras têm interpretação em Libras. E estão disponíveis na plataforma Espiritismo.TV.

Continuar lendo

Comentários

Mais Episódios