Ser agente da paz na atualidade é atuar como luz do mundo, sal da terra. Não à toa, Jesus exorta essa missão afirmando que, aquele que a assume, será chamado “filho de Deus”. Isto é, neste caberá o reconhecimento dos atributos divinos. Daí a sublimidade da tarefa, coisa ainda para raríssimos Espíritos no planeta.

Tal condição justifica uma espécie de culminância na apresentação das bem-aventuranças pelo Mestre. E é dela que trata Geraldo Campetti nesta palestra. Ele traz diversas reflexões sobre a paz e do que trata ser seu propagador. O vice-presidente da Federação Espírita Brasileira (FEB) promove ainda algumas dinâmicas simples com o público ao longo de sua fala. Mas as inspirações que nascem delas são profundas.

Campetti conclui com um texto de Emmanuel que comenta o versículo em estudo. Ele está grafado no capítulo 5 de Mateus. E o benfeitor destaca atitudes que se esperam de um legítimo pacificador. Ao fim, o expositor responde algumas perguntas dos presentes.

O 5º Congresso Espírita de Uberlândia (CEU) teve o Sermão do Monte como tema principal. A realização do evento é da WEB Rádio Fraternidade. Todas as atividades contaram com interpretação em Libras.

Continuar lendo

Comentários

Mais Episódios