O Instituto de Difusão Espírita Allan Kardec (Ideak) promoveu em maio a sua primeira Bienal do Livro Espírita. A organização escolheu como tema do encontro “Jesus: uma ponte para o conhecimento“. E essa foi a abordagem trabalhada por Jorge Godinho na noite de abertura.

O presidente da Federação Espírita Brasileira (FEB) lembra de como o Mestre é caracterizado em “O Livro dos Espíritos”. Constitui o tipo mais puro a servir de modelo e guia da humanidade. O ser humano integral que, pelo que disse e, principalmente, por aquilo que fez, traduziu fielmente as Leis de Deus.

Em sua palestra, Godinho perpassa alguns trechos do Evangelho. E ressalta o fato inusitado de o mais sublime educador de todos os tempos não ter deixado qualquer legado escrito de autoria própria. Ainda assim, cita alguns ensinamentos deixados pelo Cristo. Todos eles reafirmados pelo Espiritismo. Entre os quais, a imortalidade, a multiplicidade dos mundos habitados e a amorosa a paternidade do Criador. Jesus é o maior intérprete da verdade divina.

Também neste bloco estão uma homenagem a Suely Caldas Schubert, com a participação de seu neto Humberto. Elsa Rossi, presidente da Sociedade Espírita Britânica (Buss) lança seu livro infanto-juvenil “A Casa do Pomar”. E Anatasha Meckenna faz uma apresentação musical. Todas as atividades da bienal contaram com interpretação em Libras.

Continuar lendo

Comentários

Acompanhar estes Comentários
Notificar-me de
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Mais Episódios

0
Participe da nossa comunidade! deixe seu comentário.x
()
x