Em meio ao Sermão da Montanha, Jesus exorta a multidão para não se inquietar com o amanhã. Afinal, conclui ele, “a cada dia basta o seu mal”. A depender da tradução e da interpretação, “mal” pode ser tomado por dificuldade, desafio, esforço ou cuidado. O pensamento está grafado no fim do capítulo 6 de Mateus.

E ele é o mote deste bate-papo realizado pelo Grupo da Fraternidade Espírita Irmã Scheilla. Semanalmente, a casa vem promovendo esses encontros à distância com expositores e pesquisadores. A intenção é, à luz do Espiritismo e do Evangelho, refletir sobre as apreensões deste período de quarentena.

Neste encontro, os convidados são Décio Iandoli Jr., Marcus de Mário e Emmanuel Chácara. Antônio Rubatino, dirigente do Scheilla, faz a mediação da conversa.

Afinal, o que o Mestre quis dizer? Uma interpretação equivocada conduz à imprevidência quanto ao futuro. Neste contexto de pandemia, a expectativa com o amanhã pode levar à ansiedade. No entanto, os debatedores reforçam o sentido de confiança na Providência Divina. Ressalvando que, sempre, é o indivíduo o autor do próprio destino.

Continuar lendo

Comentários

Mais Episódios