Transformação moral

Um meio prático que o homem pode adotar para fazer a transformação moral é seguir a recomendação de santo Agostinho:

“Fazei o que eu fazia quando vivi na Terra: ao fim do dia, interrogava a minha consciência, passava em revista o que havia feito e perguntava a mim mesmo se não faltara a algum dever, se ninguém tivera motivo para se queixar de mim. Foi assim que cheguei a me conhecer e á ver o que em mim precisava de reforma. […]”.

Allan Kardec: O Livro dos Espíritos. Questão 919-a.

As imperfeições morais levam o homem ao afastamento das Leis de Deus, resultando em desequilíbrios, levando a aflições no presente e no futuro, algumas graves, causadoras de grandes perturbações espirituais.

A causa das aflições e a transformação moral

Nas condições em que se encontram, essas almas acumulam inimizades e antipatias e, por isso, muitas vezes, vivem isoladas, sem desfrutar das singelas manifestações das verdadeiras amizades.

Kardec ainda nos lembra sobre transformação moral, neste trecho em O Evangelho segundo o Espiritismo:

Aquele que pode ser, com razão, qualificado de espírita verdadeiro e sincero, se acha em grau superior de adiantamento moral. O Espírito, que nele domina de modo mais completo a matéria, dá-lhe uma percepção mais clara do futuro; os princípios da Doutrina lhe fazem vibrar fibras que nos outros se conservam inertes. Em suma: é tocado no coração, pelo que inabalável se lhe torna a fé. Um é qual músico que alguns acordes bastam para comover, ao passo que outro apenas ouve sons.Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más. Enquanto um se contenta com o seu horizonte limitado, outro, que apreende alguma coisa melhor, se esforça por desligar-se dele e sempre o consegue, se tem firme a vontade.

ed. FEB, 2013, cap. XVII, item 4

Transformação Moral e o Espiritismo

Vocabulário do Espiritismo