Roma

Roma

Roma é a capital da Itália, é uma comuna italiana e está sediada na província de mesmo nome, na região do Lácio. Conhecida internacionalmente como A Cidade Eterna pela sua história milenar, Roma espalha-se pelas margens do rio Tibre, compreendendo o seu centro histórico com as suas sete colinas: Palatino, Aventino, Capitólio (Campidoglio), Quirinal, Viminal, Esquilino, e Célio. Segundo o mito romano, a cidade foi fundada por volta do ano 753 a.C..

Roma tem o status de cidade global.

A história de Roma abrange 28 séculos. Enquanto a mitologia romana data da fundação de Roma por volta de 753 aC, o local foi habitado por muito mais tempo, tornando-se um dos mais antigos locais ocupados continuamente na Europa.

A população primitiva da cidade originou-se de uma mistura de latinos, etruscos e sabinos. Eventualmente, a cidade tornou-se sucessivamente a capital do Reino Romano, a República Romana e o Império Romano, e é considerada por alguns como a primeira metrópole de todos os tempos. Foi chamada pela primeira vez de A Cidade Eterna (em latim: Urbs Aeterna; italiano: La Città Eterna) pelo poeta romano Tibullus no século I aC, e a expressão também foi adotada por Ovídio, Virgílio e Lívio.

Roma, a capital do Mundo

Roma é também chamada de “Caput Mundi” (Capital do Mundo). Após a queda do Império do Ocidente, que marcou o início da Idade Média, Roma caiu lentamente sob o controle político do papado, e no século VIII tornou-se a capital dos Estados Pontifícios, que durou até 1870. Começando com o Renascença, quase todos os papas desde Nicolau V (1447-1455) perseguiram mais de quatrocentos anos, um programa arquitetônico e urbano coerente destinado a tornar a cidade o centro artístico e cultural do mundo.

Desta forma, Roma tornou-se primeiro um dos principais centros do Renascimento italiano, e depois o berço do estilo barroco e do neoclassicismo. Artistas famosos, pintores, escultores e arquitetos fizeram de Roma o centro de sua atividade, criando obras-primas em toda a cidade. Em 1871, Roma tornou-se a capital do Reino da Itália, que, em 1946, tornou-se a República Italiana.

Roma nos Romances Espíritas

A sociedade da Roma Antiga desapareceu na poeira dos séculos.

Herdamos deles a nossa base cultural e algumas semelhanças. O romano da nobreza, por exemplo, era escravo de uma série de etiquetas e de convenções sociais.

Religião, vida pública e privada, casamento e adultério, educação, família: tudo fazia parte de uma série de leis, costumes e tradições aos quais deveriam integra-se e onde todos tinham o seu papéis pré-determinados. A cada século, a cada geração, os costumes mudavam, a moral modificava, tradições eram esquecidas ou ressuscitadas.

Os romances romanos do espírito Emmanuel percorrem um período de aproximadamente trezentos anos: Há dois mil anos no primeiro século d.C., 50 anos depois no segundo e Ave, Cristo! no terceiro. Todos traçam um panorama das sociedades de então.