Homossexualidade

Bandeira Movimento LGBT

Homoafetividade é a relação afetiva entre pessoas do mesmo sexo, que desejam o reconhecimento de seus direitos pela formação da parceria através de lei, ter o direito de casar e poder realizar todos os atos e direitos de uma sociedade natural, como as existentes de marido e mulher.

A homoafetividade segundo a visão espírita

Identidade e orientação sexual são coisas distintas. Identidade é como o indivíduo se sente, a qual sexo pertence, com qual sexo se identifica psicologicamente. A orientação homossexual representa exclusivamente o direcionamento do afeto e do interesse sexual para indivíduos do mesmo sexo.” – Andrei Moreira, médico e presidente da Associação Médico-Espírita de Minas Gerais.

Em O Livro dos Espíritos, na questão 202, temos o esclarecimento acerca da relação entre os espíritos e a afetividade e o gênero: Quando errante, que prefere o Espírito; encarnar no corpo de um homem, ou no de uma mulher? “Isso pouco lhe importa. O que o guia na escolha são as provas por que haja de passar.

Voltando um pouco, na pergunta 200, temos:

Têm sexos os Espíritos?

“Não como o entendeis, pois que os sexos dependem da organização. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na concordância dos sentimentos.”

O Espiritismo como Doutrina entende que nós espíritos em sua essência não tem sexo definido. A Lei do Progresso nos constrange a passar por muitas experiências, que só podem ser encontradas quando estagiamos nos dois gêneros.

Como o Espiritismo explica a Homoafetividade?

De acordo com as obras espíritas, a homoafetividade, é explicada de modo geral pelo apego que alguns espíritos desenvolvem pela energia masculina ou feminina.

Reencarnando sucessivamente com um corpo de determinado gênero, ao reencarnar em outro, traz impregnado em seus corpos energéticos algumas sensações experienciadas nas encarnações passadas.

Esse fato nos explica a diferença da personalidade de seres de mesmo gênero, em relação a que a sociedade entende por ser o masculino e o feminino.

É claro que estamos falando de relações onde a Lei do Amor e a Fraternidade são o guia.

Divaldo Franco nos esclarece que a homoafetividade, como conduta moral em um relacionamento, é aquela que não tem agressões e promiscuidade.

Por isso o Espiritismo se coloca contra essa associação, de forma quase que exclusiva, para se referir sobre homossexuais.

A Homossexualidade nas obras espíritas

“Obviamente compreensível, em vista do exposto, que o Espírito no renascimento, entre os homens, pode tomar um corpo feminino ou masculino, não apenas atendendo­se ao imperativo de encargos particulares em determinado setor de ação, como também no que concerne a obrigações regenerativas”. – Emmanuel em  Vida e Sexo, obra psicografada por Chico Xavier.

Chico Xavier, no programa Pinga Fogo, quando perguntado sobre Homossexualidade, respondeu, dizendo ser a homoafetividade uma condição da alma humana e que não deve ser considerado como fenômeno espantoso.

“Tanto como acontece com a maioria que desfruta de uma sexualidade dita normal, aqueles que são portadores de sentimentos de homossexualidade ou bissexualidade são dignos do nosso maior respeito.” – Francisco Cândido Xavier